terça-feira, 31 de maio de 2011

Não importa, mas que seja ALTO!

Bem, meu mundinho anda girando muito em volta do teatro, mas para as pessoas que quiserem interpretar esta postagem como uma metáfora para as outras coisas da vida, fiquem a vontade...
Por maior clichê que seja, pesamos mais os erros do que os acertos (nem que eu fale só por mim). Mesmo que pareça um modo pessimista de pensar, não acho que dar mais peso para os acertos que aos erros seja uma boa saída.
Talvez pondo os dois BEEEEM pesados! Só será considerado um acerto se for um SENHOR ACERTO, e o mesmo quanto ao erro. Deve ser AQUELE ERRO!
Não que para mim os dois tenham o mesmo valor, prefiro mil vezes acertar! Mas não estou falando de fazer uma boa cena, mas de fazer uma cena.
Prefiro assistir a maior cagada do mundo do que a algo medíocre, "certinho". (Confesso que tenho considerado este "certinho" o pior dos insultos! - confuso, eu sei).
Tem uma imagem que ilustra bem: enquanto nos mantemos na superfície, não é interessante nem emocionate. Para valorizar, só arriscando um mergulho, nem que este vá trazer a maior desgraça, um dia a gente aprende!
Então, não tem nada a ver com ser exagerada. Mas saber tirar de TUDO o máximo, sem deixar que passe e não acrescente nada.











Se não, pra que tudo isso?

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Vamos ver no que vai dar...


Eu confesso. A primeira postagem do blog me deu medo por muito tempo. Parece que a partir daí você DEVE saber o que escrever, o "porque" você criou este blog e de que ele irá tratar daqui em diante. E eu nunca soube isto direito!
Bem, então lembrei das minhas aulas de filosofia no ensino médio para vestibular:
  • "Immanue Kant responde à questão de como é possível o conhecimento afirmando o papel constitutivo de mundo pelo sujeito transcendental, isto é, o sujeito que possui as condições de possibilidade da experiência. O que equivale a responder: "o conhecimento é possível porque o homem possui faculdades que o tornam possíveis".  
Bem,  na MINHA interpretação de Kant, não é possivel conhecer o mundo, só os efeitos dele no sujeito. Então, neste caso, eu trago um pouquinho do mundo comigo, e a cada experiência vivida e refletida, este mundinho aumenta! (deixa algum estudante de filosofia ler isto...ai, ai!).
Resolvido então! 
O meu nome é Maria Bonome, eu tiro fotos, atuo e vou entrar no curso de Ciências Sociais da UFMG. Sempre sinto uma vontade de escrever do que escuto, vejo, fotografo...vivo! e queria um espaço para isso.
Só quero ver o que este blog vai dar...












O pequenino mundo do meu quarto...