terça-feira, 31 de maio de 2011

Não importa, mas que seja ALTO!

Bem, meu mundinho anda girando muito em volta do teatro, mas para as pessoas que quiserem interpretar esta postagem como uma metáfora para as outras coisas da vida, fiquem a vontade...
Por maior clichê que seja, pesamos mais os erros do que os acertos (nem que eu fale só por mim). Mesmo que pareça um modo pessimista de pensar, não acho que dar mais peso para os acertos que aos erros seja uma boa saída.
Talvez pondo os dois BEEEEM pesados! Só será considerado um acerto se for um SENHOR ACERTO, e o mesmo quanto ao erro. Deve ser AQUELE ERRO!
Não que para mim os dois tenham o mesmo valor, prefiro mil vezes acertar! Mas não estou falando de fazer uma boa cena, mas de fazer uma cena.
Prefiro assistir a maior cagada do mundo do que a algo medíocre, "certinho". (Confesso que tenho considerado este "certinho" o pior dos insultos! - confuso, eu sei).
Tem uma imagem que ilustra bem: enquanto nos mantemos na superfície, não é interessante nem emocionate. Para valorizar, só arriscando um mergulho, nem que este vá trazer a maior desgraça, um dia a gente aprende!
Então, não tem nada a ver com ser exagerada. Mas saber tirar de TUDO o máximo, sem deixar que passe e não acrescente nada.











Se não, pra que tudo isso?

Um comentário: